Energia Renovável

Banco Asiático de Desenvolvimento Disponibiliza US $2,25 bilhões dólares para Megas Projetos de Energia Solar

Torre CSP no Meio dos Heliostats (clique para ampliar)

Como dissemos em artigo anterior está havendo um “boom” de energia solar concentrada nos Estados Unidos e África do Sul.

As empresas dos EUA e Sul-Africanas estão sendo acompanhadas por novas iniciativas na China, Índia e outras partes da Ásia ensolarada. No início deste ano, o Banco Asiático de Desenvolvimento anunciou que disponibilizou US $2,25 bilhões dólares para financiar megas projetos solares que podem gerar cerca de 3.000 MW de electricidade em meados de 2013.

No mês passado, o BAD anunciou a liberação de US $2 milhões dólares para realizar uma conferência-fórum sobre Energia Solar na Ásia para reunir os países interessados e as empresas em conjunto a fim de discutirem os melhores locais, tecnologias e modelos de negócios para expandir a geração de eletricidade solar na região.

O Brasil, Portugal, Angola, Espanha que Estão Fazendo?

Verificando-se a velocidade com que estão se expandindo os projetos de energia renovável nos USA, Alemanha, África do Sul e Ásia, países como o Brasil e Angola deveriam iniciar ou expandir, como é caso de Portugal e Espanha, empreendimentos semelhantes e explorar eficientemente os seus potenciais naturais.

Entre eles estão a luz solar abundante, rápido crescimento da procura de electricidade, e disponibilidade de terras com poucas alternativas de uso.

Os oito parques solares na Califórnia citados no nosso post anterior vão usar 74 quilômetros quadrados de deserto adicionando uma paisagem futurista de espelhos, pratos solares, painéis fotovoltaicos e torres

Como todos sabem, o gás é o combustível dominante na geração de eletricidade na Califórnia. Centrais a gás produzem eletricidade por cerca de 10 centavos de dólar nos EUA por kilowatt-hora.

Atualmente, incluindo subsídios do governo, centrais térmicas solares são esperadas gerar energia ao redor de 13 a 17 centavos por kWh.

Subsídios Governamentais e Incentivos Financeiros na Setor de Energia Solar

Os subsídios governamentais e incentivos financeiros podem ser necessárias inicialmente para estimular avanços na energia solar. Mas alguns países europeus, como a Alemanha, estão preocupados que podem ter ido longe demais.

Como resultado de subsídios generosos e a garantia de compra de electricidade que será incorporada à rede nacional alemã, a instalação de painéis solares fotovoltaicos e usinas de grande escala explodiram neste país. Pelo menos 8.000 MW de capacidade extra deve ser acrescentado este ano, ou o dobro do que aconteceu em 2009.

Se a expansão continuar, a Alemanha poderá ter cerca de 50.000 MW de capacidade de energia solar até 2013. Alguns especialistas estão alertando que isso poderia criar uma forte tensão na rede, provocando sobrecargas e apagões com enormes ondas de energia solar intermitente vindo ao meio-dia ao invés da noite, quando a demanda é alta.

Como todos sabemos, sistemas de energia renovável solares e eólicos ajudam a reduzir o uso de combustíveis poluentes fósseis e as emissões de gases nocivos ao meio ambiente.

No entanto, para ser sustentável, devem ser competitivos com outras formas de geração de eletricidade e um grande investimento deve ser feito para tornar a atual rede de distribuicão com capacidade de absorver de forma cuidadosa e inteligente a oferta intermitante de energia renovável.

Bem, neste momento é que entra em ação os avanços tecnológicos do setor como o uso de sal derretido para estocar calor e a introdução de turbina à gas usando ar presurizado quente para movimentar os geradores, como mostramos em posts passados.

No fritar dos ovos ou dos panéis solares, vai ser tecnologia de ponta aplicável à realidade de mercado que tornará energia solar uma verdadeira concorrente na corrida mundial de substituição do finito petróleo.

Mais informações sobre Energia Renovável:

Comments are closed.